Câncer nos olhos: como se prevenir

O dia 08/04, Dia Mundial de Combate ao Câncer, não é uma data a ser comemorada. Esse dia foi criado para ampliar o conhecimento popular sobre o tratamento e, principalmente, sobre a prevenção da doença. Segundo estimativas do Ministério da Saúde, até o desse ano, serão registrados no país cerca de 310 mil casos de câncer. Ao todo, 117 mil pessoas vão morrer vítimas da doença, que é a segunda maior causa de mortes no Brasil, só perdendo para os problemas cardiovasculares. Embora o câncer de mama lidere o ranking do número de casos, o tipo mais comum de câncer na visão é o melanoma de coróide, que muitas vezes é descoberto em exames de rotina. O melanoma é um tumor maligno intra-ocular que é mais comum em adultos do que em crianças.

As crianças, porém, sofrem com o tipo hereditário de retinoblastoma e apresentam um alto risco de recorrência do câncer. Além disso, ao longo dos 30 anos que sucedem o momento do diagnóstico, até 70% dos pacientes com retinoblastoma hereditário apresentam um segundo câncer.

O retinoblastoma, que representam aproximadamente 2% dos cânceres infantis é uma doença atinge a retina, ou seja, a área fotossensível (sensível à luz) localizada na parte posterior do olho.

Cerca de 10% das crianças com retinoblastomas têm parentes com este tipo de câncer e herdam o gene do retinoblastoma de seus pais, além de 20 a 30% das crianças que apresentam o câncer em ambos os olhos, o que indica que elas adquiriram o gene como uma nova mutação. Portanto, um total combinado de aproximadamente 30 a 40% das crianças com retinoblastomas possuem o gene da doença, o qual eles poderão transmitir aos seus filhos.

Os sintomas podem incluir uma pupila branca ou estrabismo (vesgueira). No entanto, outras causas de pupila branca ou estrabismo são muito mais comuns. Em mais de 90% dos casos, o retinoblastoma que permanece restrito ao olho é curado. Quando o câncer afeta ambos os olhos, técnicas microcirúrgicas especiais são utilizadas para remover ou destruir o tumor, de modo que não seja necessária a remoção de ambos os olhos.

Já, o melanoma, que apesar da escassa incidência, a doença encontra-se em constante aumento por fatores desconhecidos, é um tipo de câncer de pele com o pior prognóstico, pois em estágios avançados, a doença se dissemina para outros órgãos como os olhos, acarretando no melanoma de coróide.

Nos Estados Unidos há mais de 50.000 casos ao ano e cerca de 8.000 mortes. Os principais fatores de risco do melanoma são a pele clara e a exposição ao Sol, uma vez que os raios ultravioletas provocam alterações ou mutações no DNA, e as pessoas de pele escura têm melanina que absorve a maioria desses raios UV antes deles provocarem danos.

(Comunique-se)